Terça-feira, 09 de Março de 2010

 

À hora marcada, mais de duas dezenas de professores e alguns alunos da Fernão Mendes Pinto acorreram com entusiasmo ao anfiteatro para participar num debate vivo e aceso sobre Educação.
O nosso convidado, o Professor Gabriel Mithá Ribeiro, referiu mudanças de paradigma do ensino através da História e defendeu inequivocamente a necessidade de reabilitar o lugar do conhecimento como central no processo de ensino-aprendizagem.
 
Numa síntese clara e numa crítica desempoeirada, o prelector contestou a sobrecarga dos curricula, nomeadamente pela existência das Áreas Curriculares Não Disciplinares; a burocratização da função docente, mormente pelos processos disciplinares dos alunos; o desvirtuamento da identidade das escolas, alargando a sua abrangência a ciclos de ensino que extravasam as suas competências iniciais ou o savoir-faire cultivado durante anos e que foi criando um processo identitário; a gestão do calendário lectivo com insuficientes pausas, que muitas vezes mais não são do que dedicados, pelos professores, à correcção de testes e trabalhos de avaliação; o excessivo número de alunos por turma…
 
A crítica, se bem que abrangente, nem por isso se identificou com qualquer tipo de alarmismo ou de negativismo infecundo. De resto, a plateia desafiou o orador a apresentar contra-propostas ao estado da Educação em Portugal e apoiou uma visão caricatural das Ciências da Educação que perpassou algumas intervenções. As opiniões dividiram-se então e o entusiasmo apenas foi quebrado pelo tempo, esse escultor imparável, que corria à nossa frente e anunciava que, a seguir ao debate ideológico, haveria a prometida sessão de autógrafos.
 
Assim aconteceu. O autor autografou, dedicou e ofereceu vários exemplares de A Lógica dos Burros a professores, a alunos e à Biblioteca Escolar. O convite para novo debate, esse, ficou em aberto.
 
 
Haverá ciência nas Ciências da Educação?
 
 
Ficou a promessa de novo confronto, num diálogo aberto e educativo. Educativo, porque aberto ao contraditório. Uma forma de estar que a Escola Secundária Fernão Mendes Pinto cultiva, tentando ensinar na prática o respeito pela diferença de opiniões e de visões sobre a realidade.    
 


publicado por aquiharatos às 23:04
Gosto de livros. Da textura, da cor, das linhas, dos parágrafos. De folhear, ler, parar, saborear. Gosto de livros. Gosto. Moro na Biblioteca da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, em Almada, e ando à procura de outros ratos devoradores. Visita-me!
mais sobre mim
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

15
17
18
19
20

22
25
26
27

28
30
31


pesquisar neste blogue
 
blogs SAPO